Primeiras impressões: Youkoso Jitsuryoku Shijou Shugi no Kyoushitsu e

Olá, pessoal! Essa semana (bem no prazo ;)) eu li esse mangá, que também fiquei sabendo ser um dos animes dessa temporada. Eu queria poder ler a light novel já que está bem mais a frente e a história parece realmente interessante, mas ler livros digitalmente não é meu forte. Como os capítulos disponíveis são poucos, resolvi dar minhas impressões apenas, mas esperem uma resenha no futuro se eu continuar a gostar desse mangá!

É um pouco difícil trabalhar tão pouca informação, mas vamos lá!

Informações

Título original: ようこそ実力至上主義の教室へ
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 3 capítulos + (4 volumes no país de origem)
Status: Andamento
Demografia: Seinen
Gêneros: Comédia, drama, romance, vida escolar
Período de serialização: 27 de Janeiro de 2016 a ??
Mangaká: Kinugasa Shougo
Ilustração: Ichino e YU-YU
Ano: 2016
Editora Japonesa: Media factory
Revista Japonesa: Comic Alive

Sinopse

A escola Kodo Ikusei é sem dúvidas a melhor escola do país, com todo seu equipamento e currículo de última, para preparar os jovens que serão o futuro econômico da nação. Quase 100% dos estudantes acabam indo para universidade ou arranjando um emprego em uma boa empresa. Os estudantes desta escola possuem diversas liberdades, mas não podem sair do campus ou entrar em contato com qualquer um do lado de fora, incluindo sua família. Tendo todo tipo de entretenimento e utilidades a seu dispor, eles ganham até mesmo um cartão com 100,000 pontos para fazer suas compras. A história se passa na turma D com o protagonista Kiyotaka Ayanokouji, um rapaz que tenta não se apegar ou se envolver muito em qualquer coisa, mas depois de conhecer duas colegas distintas de sua turma, as coisas começam a ficar estranhas para ele.

Impressões

Não é muito difícil pegar o rumo desse roteiro com apenas três capítulos lidos. Todo local que se concentra em treinar de algum modo um grupo específico e cuidadosamente selecionado para qualquer fim acaba tendo todo tipo de gente louca possível. Seja por acharem que eles mandam no mundo por direito ou por terem sido levados a um estado de altíssimo stress graças à pressão imposta sobre eles.

Os primeiros capítulos então, introduzem o leitor na escola, ainda que superficialmente e na vida diária e um pouco vazia do protagonista Ayanokouji. Segundo suas palavras, não lhe era permitido fazer amizades com qualquer pessoa não aprovada por seus pais e por isso ele teve uma vida bem solitária e agora que conquistou um lugar nessa escola (mesmo que seja na turma D) e tem muita liberdade, quer apenas fazer amigos com todo mundo que conseguir, mas ao mesmo tempo ele é um jovem extremamente indiferente e sem tato para muitas das situações sociais que passa a enfrentar. Por incrível que pareça, a colega realmente indiferente que senta ao seu lado, Horikita, pode ser a sua salvação. Não que ela não saiba o valor das pequenas interações e memórias obtidas durante os últimos anos da escola, mas ela acha muitas coisas desnecessárias e realmente detesta a atitude ‘em cima do muro’ de nosso protagonista. Podemos perceber também que ela dá vários avisos sobre a personalidade e algumas escolhas de Ayanokouji, mas ele começa a se envolver aos poucos com alguns alunos. Claro que não vou spoilar totalmente para quem quer ler os capítulos mesmo que não tenhamos muitos disponíveis ainda, mas ao conhecer a aluna Kikyou Kushida, as coisas começam a ficar com um ar estranho onde o leitor pode duvidar de tudo e todos e essa é a maior impressão que esse mangá me causou até o presente momento.

Kushida quer muito ser amiga de todos e não deixa de lado que Horikita não está afim de ser amiga de ninguém, fora isso ela é tremendamente insistente e fixada nessa história a ponto de começar a exagerar em suas ações para convencer Ayanokouji que ele deve ajudá-la. Claro que isso não tem cara de que vai acabar bem e para completar, acabamos descobrindo um ponto delicado sobre nossa seríssima estudante Horikita quando é revelado que um parente seu (eu chuto um irmão) é o presidente do conselho estudantil.

Além do clima proporcionado pelas ações dos personagens, o traço colabora um pouco. Na maioria das vezes é um traço bonito, agradável e até leve que capta as expressões dos estudantes de modo saudável, mas se você tiver cuidado ao fazer a sua leitura, vai notar que alguns quadros são mais sombrios do que parecem. Se você já leu mangás como Kuzu no Honkai, onde coisas bem ruins acontecem e assuntos bem tabus e adultos são abordados, mas o traço é quase de um shoujo, então você entende o que eu estou dizendo. Youkoso tem um traço atraente demais e bonitinho demais, mas não deixa de ser um seinen e mostrar suas garras durante a leitura, então preste atenção que você vai conseguir arrancar uma boa leitura vertical da situação mesmo em três capítulos.

Existem vários pequenos conselhos de vida misturados ao dia-a-dia dos nossos queridos personagens também e espero que como um bom leitor você consiga identificá-los. São coisas como o cuidado com quem você fala, anda, cuidado com suas despesas e principalmente cuidado com sua falta de atenção, que isso pode (e deve) te levar a problemas sérios.

Não tenho muito a dizer sobre cada personagem até o momento. Todos eles parecem esconder coisas terríveis sobre si mesmos e alguns já dão o ar de perigosos (o colega irritado demais, a colega que quer ser amiga de todos e até os garotos “zueirinhos” demais). Ao mesmo tempo que a história é recheada de pequenos avisos, ela não deixa de abordar a realidade de uma vida escolar: os limites que você está disposto a quebrar para fazer amizades, as coisas que está disposto a aturar para que não te notem ou te notem demais e por aí vai.

Acredito que o mangá tem tanto potencial quanto a adaptação em anime, que não parece estar tomando um rumo tão ruim assim. A novel me pareceu muito mais intrigante e com uma abordagem mais direta do que o mangá com certeza, mas se vocÊ procura exatamente uma vida escolar com uma atmosfera pesada, Youkoso é o seu mangá! Procure-o para ler no seu scan favorito ou apenas jogue no google e se divirta! Eu li no site mangatown.

Para encerrarmos, minhas impressões gerais do mangá foram bem positivas, tirando que eu raramente gosto de qualquer protagonista, mas claro que entendo que ele ser assim faz parte do desenvolvimento do roteiro. Espero algo dessa história? Bastante coisas horríveis e até situações abomináveis, dada a atmosfera que está se formando.

Espero que tenham gostado desse artigo e desejo uma boa semana a todos vocês, devoradores!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Primeiras impressões e marcada com a tag , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.