Resenha: Zannen na Sasaki-san

Olá, Devoradores! Sim, é sábado e eu tenho um post para todos! Ás vezes esse tipo de coisa acontece quando eu começo a ler demais e me empolgo, mas é bom escrever logo para dar espaço para outras leituras que viram novos posts~

Ultimamente tenho assistido muitos filmes para poupar meu braço que ainda dói bastante, então novamente peço que relevem se toparem com grandes erros por aqui.

Ontem a noite eu li os dois primeiros (e únicos) capítulos de Zannen na Sasaki-san e senti a necessidade de compartilhar meu parecer sobre esse one-shot com vocês.

Informações

Título original: ザンネンな佐々木さん
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 2 capítulos, 1 volume
Status: Completo
Demografia: Shoujo
Gêneros: Comédia, drama, vida escolar
Mangaká: Shiraishi Yuki
Ilustração: Shiraishi Yuki
Ano: 2016
Editora Japonesa: —
Revista Japonesa: Sho-comi


Impressões

Uma impressão dessa história é tudo que temos, pois apesar dela ser interessante, engraçadinha e ter capacidade para evoluir, é um one-shot de dois capítulos. Claro que muitos one-shots servem de início para serializações e espero que um dia eu possa ler mais sobre esses personagens.

Podem notar que não dei uma sinopse antes de começar a tagarelar sobre o mangá já que não tem mesmo muito o que falar dele e eu ficaria apenas me repetindo, mas então vamos lá…vou ser bem simples: A protagonista é uma jovem adorável, pura, contida, um exemplo de menina japonesa que todos os meninos querem, mas apenas um consegue! Sakaki Chika e Sakaki Umi são um casal recente, mas Umi é uma garota que esconde um tenebroso fetiche: mãos! Umi ama tanto mãos (e especialmente as do seu namorado) que ela não consegue nem sentir seu toque sem ficar de pernas bambas!

Com um plot desses, eu fiquei um pouco decepcionada quando me deparei com o segundo e último capítulo e acho até que a intenção era ter mais capítulos, mas não foi possível.

A história é bem introdutória, mas divertida e trata de uma coisa interessante também: ser aceita como é por quem gosta de você. Chika descobre e lida com o fetiche extremo de sua namorada com muita positividade e interesse enquanto Umi só pensa que precisa ser uma mulher pura e perfeita para que ele goste dela, o que é um pouco chato, mas compreensível devido a uma ideia de namorada perfeita que ela tem e que não inclui nenhum tipo de fetiche ou comportamento do gênero.

Não podemos ir muito fundo num shoujo de dois capítulos. Não existe mesmo um desenvolvimento de personagem, mas também não é necessário! Considere uma leitura para fazer enquanto come um kitkat por exemplo e aprecie a ideia de aceitação que o mangá passa.

O traço é uma graça, tipicamente shoujo, redondinho e cheio de efeitos que dão o clima dessa demografia e me deixou afim de procurar mais obras dessa autora, que começou sua carreira com o título Ojou-sama no himitsu. Vocês podem conferir mais obras dela aqui.

No mais, vale a pena, mas sem dúvidas me deixou com muita vontade de saber mais sobre a história desse casal e deixou bastante coisa em aberto, tendo um final super abrupto. Vamos esperar que essa obra seja serializada, né?

Obrigada por me acompanharem em mais um artigo e bom fim de semana!

Esta entrada foi publicada em Postagens e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.