Terças de Terror: Eko Eko Azarak

Oi, pessoal! Este post foi fabricado antes da meia-noite, então ainda é terça hehehe (e como tem horário de verão aqui, seriam 22h!). Tive um compromisso familiar e não consegui construir o post onde eu estava (obrigada wi-fi da net+claro que funciona quando quer).

Hoje falarei desse mangá que de acordo com pesquisas, é um dos bem conhecidos do gênero. É uma leitura um pouquinho diferente do que costumo passar para vocês e também é um mangá bem antigo, mas espero que possam apreciar e quem sabe ler na íntegra!

Apenas para completar a postagem, saibam que Eko eko Azarak também foi adaptado em OVA e J drama!

Informações

Título original: エコエコアザラク
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 19 volumes PdO, 3 volumes e 22 capítulos online.
Status: Completo PdO, andamento online
Demografia: Shounen
Gêneros: Horror, mistério, sobrenatural
Mangaká: Koga Shinichi
Ilustração: Koga Shinichi
Ano: 1875
Editora Japonesa: Akita Shoten
Revista Japonesa: Shuukan Shounen Champion
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Kuroi Misa é jovem, mas também é uma poderosa bruxa que se transferiu recentemente para uma nova escola, onde vai ficar sempre de cabeça erguida e a favor de seus inúmeros rituais de magia negra, que nem sempre acabam ajudando seus colegas. Em diversas pequenas histórias, Misa é tanto vilã quanto…uma vilã que parece heroína?

Eko Eko Azarak!

Fazia um bom tempo que eu não dava uma variada nas leituras. Tenho trazido bastante material de survival e fiquei afim de lhes agraçar com um material bem diferente disso. Em Eko eko Azarak nós voltamos a terrores perturbadores, com mortes tenebrosas e rituais satânicos, a boa e velha magia negra.

O mangá tem um roteiro bem flexível com várias histórias curtas no mesmo ambiente envolvendo magia negra, nossa adorável protagonista (eu realmente gostei muito dela!) e muitos problemas comuns do dia a dia de alunos que se tornam um episódio de bizarrice com uma colher de sopa sangrenta. Nem todas as histórias são puramente de dar medo ou vai ver você pode acabar achando que essa blogueira tem uns parafusos a menos, mas eu ri bastante lendo esse mangá, que não deixa de apresentar sua face assustadora e maléfica dado um pouquinho de reflexão ao que ocorre, afinal, ninguém vai te salvar os perigos que suas ações ou falsas declarações podem causar. Chegando nesse ponto, o roteiro também tem vários toques de moralidade, falando sobre as pessoas terem o que merecem pelo seu comportamento incorreto ou simplesmente detestável. Os leitores também podem apreciar a visão do mundo pelos olhos da protagonista e talvez se surpreender um pouco com suas ideias sobre a sociedade.

O traço foi uma das coisas que fechou a história com chave de ouro gente, sem brincadeira. Eu já costumo ter uma atração pelo traço de mangás mais antigos e fico feliz que esse seja mais um daqueles mangás com traços fortes e marcantes que me deixaram no ponto exato de satisfação quando lendo uma história de terror, pois sinceramente, nem sempre só o festival de tripas vai causar um choque no leitor, não é?

Novamente recomendo aos interessados que deem uma olhada no Jdrama que foi adaptado deste mangá e talvez no OVA, mas como não conferi esses materiais, fica mesmo uma dica.

Peço desculpas novamente aos leitores que até esperam o post mais ou menos pela tarde, mas imprevistos acontecem, não é? Se ficarem pensando mal de mim já sabem: Eko eko Azarak, ohohoho~

Esta entrada foi publicada em Clube do Terror, Mangá, Resenha e marcada com a tag , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.