Resenha: Momokuri

Oi, pessoal! Gostaria de notificar vocês que desde quinta (o dia que eu deveria ter publicado a resenha) estou meio que de cama e muito mal do estômago em consequência dos remédios da asma, que são bem fortes. Estou enjoada a toda hora, então nem consegui ler direito. Depois de muito sofrimento (literalmente) eu li uma parte satisfatória (ainda seguirei lendo por ter gostado) do mangá de hoje. Espero que vocês curtam este post e agradeço a gêmea Leena e ao Priest pela recomendação!

Informações

Título original: ももくり
Tipo: Mangá (webtoon)
Volumes e capítulos: 6 volumes PdO, 6 volumes e 87.5 capítulos via CR
Status: Andamento
Demografia: Shoujo
Gêneros: Comédia, romance, vida escolar
Mangaká: Kurose
Ilustração: Kurose
Ano: 2014
Editora Japonesa: Earth Star Entertainment e NHN
Revista Japonesa: Comico Japan
Link do mangá no Anime-Planet

 

Sinopse

Momokuri acompanha o relacionamento de Momotsuki e Kurihara que tem uma pequena diferença de um ano de idade. Os altos e baixos desse relacionamento, assim como o que acontece com as pessoas ao redor deles são mostrados de modo colorido e leve.


Stalker-chan e tímido-kun

Momokuri, que é nada mais que a junção dos nomes dos protagonistas desse webtoon, onde o leitor pode sentar e relaxar aproveitando uma leitura leve e totalmente colorida, no sentido literal mesmo. Nem por ser uma leitura leve, Momokuri deixa de nos mostrar um lado realista de relacionamentos. Temos o lado dele, o lado dela e o lado de todos envolvidos, alguns dramas aqui e ali também para manter o leitor bem envolvido e claro, lhe emocionar bastante. Sendo uma história tão comum, fica difícil falar de mais alguma coisa do roteiro sem spoilar a leitura de alguém, por isso vamos falar de outra coisa.

Os personagens são esteticamente fofinhos e sempre desenhados em um modo bem moe e chibi (se tem um termo técnico, me avisem :P). Os protagonistas vão demonstrando sua personalidade logo de cara e os personagens secundários vão logo tomando a sua posição num evento que podemos chamar de clichê, mas nem por isso é ruim, apenas uma fórmula conhecida que funciona muito bem. Até onde eu li todos eles são relacionáveis em algum nível e com o tempo e sem pressa, o leitor vai conhecendo melhor cada um.

O traço pode ser um pouco fora dos limites do aceitável para alguns. Ele é assim mesmo, meio chibi e muito fofo, com uma coloração diferenciada cujo nome da técnica eu não sei, mas adoraria a informação 😉 sendo um webtoon ele é montado em tira e é muito importante para uma leitura fluida, que caso tu vá procurar, opte por ler a tira inteira ou pode acabar perdendo até falas, pois nem todos os cortes de páginas saem perfeitos!

Espero que meu post feito doentinha caindo aos pedaços no estilo “essa ta morta e esqueceram de avisar”  tenha feito sentido para vocês, pois não quis deixar passar totalmente em branco essa semana, ok?

Nos vemos nas próximas postagens!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Resenha e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.