Resenhando: Honzuki no Gekokujou

Olá, pessoal! Hoje a resenha será de um mangá adaptado de light novel que estou lendo! Como não podia ler nada muito longo essa semana, não esperem um post gigante.

Quero acrescentar também que estou escrevendo morrendo de sono, ando bem cansada, então sejam legais e relevem. De qualquer modo, espero que aproveitem a minha experiência com essa leitura e se juntem a mim nela!

Informações

Título original: 本好きの下剋上 ~司書になるためには手段を選んでい
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 5 volumes PdO, 3 volumes e 11 capítulos online
Status: Andamento
Demografia: Shoujo
Gêneros: Fantasia, slice of life
Mangaká: Kazuki Miya
Ilustração: Suzuka
Ano: 2015
Editora: TO Books
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Reino Urano, uma estudante extremamente apaixonada por livros acaba conseguindo realizar seu sonho de se tornar uma bibliotecária, mas antes que pudesse exercer a profissão, um terremoto faz com que os livros que tem em sua casa caiam por cima dela, resultando em morte por esmagamento. Pedindo a Deus por uma próxima vida cheia de livros, Reino acorda no corpo de uma garotinha de cinco anos, em um mundo onde livros são extremamente raros e caros e só a população nobre tem acesso. Ela decide então que se não pode ter livros, vai fazê-los!

Quem não tem livro, faz o seu!

E assim é que começa a jornada de Reino, que agora se chama Mäin e tem cinco anos, tendo origens muito simples em uma família que mal sabe escrever, imagine ler. Depois do choque de descobrir que nesse mundo existe uma baixíssima taxa de literatura e que a maioria da população nem sabe escrever seu nome, Mäin resolve utilizar seu conhecimento da vida passada para tentar criar livros, mas todos eles exigem demais do corpo extremamente frágil que ela tem agora, além de darem errado em vários níveis. No mundo em que está, não adianta nada ter uma saúde tão frágil e ser tão inteligente, já que ninguém liga muito para isso entre os cidadãos comuns, mas logo Mäin consegue aprimorar a estamina de seu corpo e começa a ser de ajuda para sua família, sem deixar de pensar no seu grande sonho de ser bibliotecária em uma biblioteca.

Para esta obra eu estou lendo tanto o mangá quanto a light novel. Enquanto o mangá não sai, vou lendo a LN. Muita gente que me conhece sabe que eu acho muito desconfortável ler texto puro virtualmente, então não está sendo nada fácil, mas se tratando de uma obra que aborda bibliotecários, bibliotecas e muitos livros, estou fazendo esse esforço e amando muito!

O roteiro é muito simples e mais uma vez o leitor topa com um isekai atípico, muito gostoso e emocionante de ler! O objetivo da protagonista até o momento é fazer livros já que ela nasceu em uma família pobre e não tem acesso a eles. Com suas memórias de seu mundo intactas, o leitor também aproveita vários momentos de sabedoria e consegue aprender coisas interessantes e diferentes. Outra coisa que é sem dúvida importante é como a história mostra algo nem um pouco exagerado. Houve uma época em que escrita, leitura e livros eram coisas exclusivas dos nobres e até épocas onde mulheres não eram autorizadas a saber ler e escrever. A protagonista busca uma forma de ser reconhecida de alguma maneira, aos poucos subindo na vida e tudo para poder ficar perto de papel e tinta de novo! O elemento que menos tem destaque até o momento é o do romance. Enquanto para a sua irmã coisa é diferente, para Mäin o amor é algo impossível e até mesmo desinteressante, já que seu único alvo são os livros, mas a história dá uma pincelada bem suave, até porque os personagens são crianças por enquanto então tudo é deveras inocente.

Uma das coisas que quero destacar é que lendo o mangá e a light novel, não notei mudanças brutais e desnecessárias como noto em adaptações de anime (quando eu ainda as assistia). Claro que eu sou público para leitura, mas gostei muito de como mantiveram a essência dessa história que é tão importante, intacta no mangá, afinal com muito mais acesso a ilustrações, a essência poderia sim se perder, não é algo tão incomum.

Os personagens que compõem essa história são em sua maioria cativantes, passando bem a sua realidade para os leitores e para Mäin já que ela não pertence a este mundo.  Existem lições importantes passadas  e o entendimento de diversos costumes antigos que só tem a acrescentar para a leitura. É notável na apresentação e desenvolvimento dos personagens, que a autora pesquisou com atenção e carinho os materiais necessários para a confecção do seu trabalho.

O traço é uma das coisas que eu gostei muito. Ele é tão aconchegante quanto o roteiro e trabalha bem tanto para nos maravilhar com a história do papel e do livro, quanto para nos fazer rir e nos emocionarmos com as cenas dessa família. Tanto as ilustrações do mangá quanto da novel são agradáveis e bem feitas, já que pessoas diferentes são responsáveis por elas, tendo como diferença que o traço do mangá me remete mais ao moe do que o traço da LN, apelando mais para o uso de crianças como maioria dos personagens, mas nem por isso deixando a desejar nos cenários, roupas e ferramentas utilizadas.

É muito provável que essa resenha se repita e seja exclusiva da light novel, já que estou fazendo o -enorme- esforço de lê-la. Espero que vocês também tentem superar suas limitações e consumam mais leitura! Se gostaram da minha experiência com Honzuki no Gekokujou, por favor acompanhem o mangá que está em seus capítulos iniciais e me avisem se gostaram! Como criatura que estuda biblioteconomia e trabalha ao redor de livros e documentos diversos, não podia deixar de conferir e amar essa obra!

Vejo vocês na próxima postagem!

Esta entrada foi publicada em Resenha, Resenhando e marcada com a tag , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.