Resenhando: Pika Ichi

Olá, pessoal! Que super saudade de sentar minha bunda na almofada e falar sobre mangás e que saudade de postar aqui no site também! Agora estou 100% melhor (mentira), mas hoje vou falar de um mangá que li e traduzi por um tempo e que claro, adoro muito e acho muito válido ser lido por todos que curtirem a ideia.

Como agora mesmo estou sob efeito da medicação da asma por causa desse clima indeciso, não acho que vá ser um post longo, mas espero que fiquem comigo até o final!

Informações

Título original: ピカ☆イチ
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 7 volumes, 27 capítulos
Status: Completo
Demografia: Shoujo
Gêneros: Ação, comédia, drama, romance, vida escolar
Mangaká: Mochida Aki
Ilustração: Maki Youko
Ano: 2010
Editora: Kodansha
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Depois de serem levados até os seus limites, dois adolescentes fãs de filmes de Yakuza decidem mudar radicalmente seu visual e sua vida, deixando de serem invisíveis na escola e passando a distribuir a verdadeira justiça por aí!

A minha experiência com o mangá

Pika ichi é um shoujo que de shoujo não tem nada e um shoujo que eu adoro. Claro que eu sei que só é shoujo por sair numa revista shoujo, mas apesar do romance existir, ele não é o principal e nem é tão evidente e é por causa da mensagem e das atitudes dos personagens que eu gosto tanto dele mesmo sendo shoujo. Se você querido devorador é chegado nessa demografia, continue lendo para saber onde vai se meter!

Nessa história, conhecemos inicialmente Hanako e Tarou, dois estudantes medianos que conseguem sobreviver na escola de elite na qual estudam graças a sua invisibilidade. Sim, ninguém nota que eles sequer existem, mas a sua timidez extrema também não ajuda. Por sinal, os dois nem conseguem se notar graças a isso, mesmo assim ambos são fãs de filmes de yakuza e ao mesmo tempo, decidem fazer uma mudança radical no seu visual e na sua personalidade, para mudar de vez a sua vida escolar!

O mangá fala bastante sobre bullying, seus tipos e seus efeitos e também não deixa os personagens que o cometem apenas como vilões na história, existe um cuidado em mostrar que o que os leva a isso é crível e muito normal até de acontecer, mas nem por isso é perdoável. Além de ir bem a fundo na história do bullying, os protagonistas são desenvolvidos de um modo emocionante para o leitor, crescendo e modificando não só a si mesmos, mas atingindo outros alunos e até a administração da escola aos poucos. Nem por se tornarem tão diferentes da noite pro dia que ambos não encontram problemas e desafios a serem superados na história. O crescimento deles dentro do mangá é satisfatório e divertido de ler, assim como dá ao leitor diversas possibilidades de se identificarem com alguém desse maravilhoso elenco.

O motivo que eu disse ali em cima de amar o mangá mesmo sendo shoujo e bem, não podendo considerar ele como qualquer outro padrão da demografia é exatamente pelo desenvolvimento e principalmente pela maturidade dos personagens e do roteiro no geral. Ele é inevitavelmente direcionado para adolescente de ambos os sexos, falando sobre problemas, desafios e as superações que encontramos nessa fase conturbada e fazendo isso de modo que essa pobre devoradora acha nobre e maduro, sem aquele tradicional lenga lenga desgastante de shoujos, ele só tem a emocionar o leitor que se aventurar por suas páginas!

Sem muito mais a adicionar para não ficar uma lenga lenga daquelas que acabei de reclamar, espero que se procuram algo nessas bandas de Pika Ichi, curtam muito o mangá! Não esqueçam de avisar os amiguinhos que o blog se mudou para esse endereço!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Resenha, Resenhando e marcada com a tag , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.