Resenhando: Himawari-san (Sugano Manami)

Oi, pessoal! A leitura de hoje envolve algo que você sabem que eu amo: livros. Além disso, se você aí curte um shoujo-ai, procure o mangá depois para se divertir!

Sei que passei duas semanas sem postar nada, mas ultimamente as coisas estão bem estressantes e não tenho tido saco pra fazer leitura mesmo, acontece! Vamos a uma breve amostra da minha experiência com esse mangá então.

Informações

Título original: ひまわりさん (菅野マナミ)
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 8 volumes PdO, 36 capítulos online
Status: Andamento
Gêneros: Comédia, shoujo-ai, slice of life
Mangaká: Sugano Manami
Ilustração: Sugano Manami
Ano: 2009
Editora: Media Factory
Serializado em: Comic Alive
Link do mahwa no Anime-Planet

Sinopse

A livraria sunflower fica bem em frente a uma escola, mas é uma loja modesta e nem tão popular assim, o que chama atenção nela é a dona da loja, chamada de sunflower-san (Himawari-san) e apesar de não ser seu nome verdadeiro, não é esse o foco da atenção de seus visitantes. Uma estudante em especial vai aos poucos desenvolvendo um lindo relacionamento com ela.

Livros pesados, roteiro leve

É bem assim a experiência com Himawari-san. O roteiro não tem uma progressão forte, mas as coisas vão se encaminhando para algum lugar. Quase todo capítulo trata de uma situação diferente na livraria, tendo partes da história que se dividem por vários capítulos e outras partes isoladas ou que vão ganhar uma relação mais para frente.

A história num geral passa serenidade ao leitor, mas também lhe instiga a descobrir mais sobre os personagens e suas origens, principalmente a dona da livraria. Os motivos por trás dela ter se tornado dona do estabelecimento e seu envolvimento com as pessoas e até seu amor pela leitura são trabalhados durante o desenvolver do roteiro.

Os personagens começam a aumentar e se desenvolver melhor depois de um certo ponto da história, não muito distante do início na verdade, o que é bom para quem sente a necessidade de personagens frequentes para se cativar com uma leitura. A parte do shoujo-ai é super leve e bem discreta na verdade, gostei muito por não ser o foco, mas também não ser completamente esquecido e se desenvolve, começando com um amor platônico, mas nunca se sabe o futuro não é mesmo?

O traço não tem nada que chame muita atenção, mas é agradável e até podemos dizer fofo para certas partes. Me parece um traço mais padrão do shoujo mesmo, então nada desagradável.

Se você está afim de algo calmo e relacionado levemente com livros, procure Himawari-san! O nome da mangaká depois é importante para que você chegue no mesmo mangá que eu estou falando pois existem outros com o mesmo nome.

Nos vemos na próxima postagem!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Resenha, Resenhando e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.