Resenhando: Taiyou no Ie

Olá, pessoal! Sei que faz tempo que não posto e honestamente não posso mais prometer cumprir o meu cronograma nem mesmo nas férias da faculdade, pois estou trabalhando bastante!

Nessas últimas duas semanas eu fiz a leitura de um mangá (um só, pra ver como ta ruim o negócio aqui) que me foi recomendado faz muuuito tempo por uma amiga muito querida com quem estranhamente não tenho o hábito de falar. Quando ela me recomendou, lembro de ter me dito que era um shoujo interessante e fugia daquela coisinha irritante (pra mim, pra mim!). A maior surpresa pra mim foi a bendita hora que resolvi fazer essa leitura, que caiu como uma luva com momentos familiares que estou passando aqui nessa minha vida e é por isso que eu resolvi vir aqui compartilhar a minha experiência com esse mangá!

Espero que curtam, então vamos lá ~

Informações

Título original: たいようのいえ
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 13 volumes, 50 capítulos + 6 extras
Status: Concluído PdO, andamento online
Demografia: Shoujo
Gêneros: Comédia, drama, romance, vida escolar, slice of life
Mangaká: Taamo
Ilustração: Taamo
Ano: 2010
Editora: Kodansha
Serializada em: Dessert
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Mao é uma garota que sempre esteve sozinha, sem ter um lugar ao qual pertencer. Apesar de ter dificuldades para socializar, ela encontrou na família Nakamura um local aconchegante, mas ainda é preciso passar por muitas provas para que Mao consiga reatar os laços com seu pai e ser aceita dentro de sua própria família, enquanto isso ela passa a morar com o filho mais velho dos Nakamura.

A casa do Sol

Pode ser que a sinopse que eu fiz no fim do expediente não agrade vocês, mas o enredo de Taiyou no Ie fará um trabalho melhor com toda certeza.

Mao é uma adolescente um pouco insensível e geralmente muito sincera, mas desde que pode se lembrar, não tem um local ao qual pertence. Seus pais diziam sempre estar ocupados investindo no futuro dela, mas sempre foi tratada como um tumor no que deveria ser a sua própria casa. Os maus tratos que ela sofreu não eram físicos, mas criaram feridas profundas que moldaram sua personalidade na vida quase adulta. Próxima a sua casa sempre esteve a família Nakamura, pais amáveis, filhos legais, um clima mágico e Mao sempre gostou de passar um tempo com eles, mesmo não se encaixando muito bem. Ela sempre foi uma estranha para o amor, seja ele como for. Quando seus pais se separaram tudo só foi ladeira abaixo e depois de muito vai e vem ela passa a morar com o filho mais velho dos Nakamura, que é consideravelmente mais velho que ela (17 e 23). Enquanto convive com ele, sua vida começa finalmente a mudar e Mao começa a trilhar o caminho para se tornar uma bela mulher, mas esse caminho é recheado de desafios, decisões difíceis e momentos dolorosos e que exigem muita coragem dela.

Claro, Taiyou no Ie é um mangá shoujo, a protagonista vai sim morar com o carinha que faz seu coração acelerar, mas o foco do roteiro é realmente sobre um local ao qual pertencer, sobre o amor da sua família, dos seus amigos, das pessoas que estão ao seu redor e te valorizam, afinal, são essas coisas que dão as pessoas um sentimento de pertencer a algum lugar e até são essas pessoas que movem as outras a terem objetivos, aguentarem um dia difícil e muito mais. Amor de amigo, de irmão, pretendente ou de pai e mãe é indispensável na vida e essa obra demonstra muito bem o lado bom e ruim disso, a necessidade que o ser humano tem de estar perto, da gentileza, da preocupação e do grande impacto que pequenos atos como ter uma hora para chegar em casa e não preocupar quem você gosta causam. Se você aí sentadinho em casa ou sacudindo no ônibus está me lendo e está pensando sobre o romance entre os protagonistas, tente acompanhar: Essa obra vai mostrar que um relacionamento é muito mais que beijinhos e abraços aqui e ali, então eu acho um ótimo exemplo sobre relacionamentos. A diferença de idade não é tanta e não é tratada pela visão erótica. Por mais que Hiro seja um adulto, ele nunca se força em Mao e espera pacientemente para seguir todo o protocolo que deve e sim, ele se acha muito errado amando uma colegial, mas muito mais do que isso, esse casal se apoia, adiciona um a vida do outro, significam algo um para o outro, estando lá quando um precisa, resolvendo conflitos, rindo juntos, chorando juntos também e conhecendo muito mais sobre o outro, ajudando a criar o caminho para um futuro melhor.

Esse é o melhor tipo de romance que pode existir para essa humilde devoradora de mangás. É um exemplo com o qual o leitor pode aprender e inclusive espelhar em sua vida.

Claro que existem muitos outros personagens e muitos outros dramas e aventuras emocionantes para vocês que ainda não conhecem a obra. Existe o amor entre amigos, que pode ser meio travado no começo, também temos dramas familiares e dramas do trabalho. As personalidades demonstradas no mangá são espetaculares, diferentes e cativantes, claramente construídas com carinho e propósito, exercendo ele e causando uma conclusão agradável para a mente do leitor e plausível dentro da realidade daquela história.

O traço não me vem como complexo, apesar que fazer um mangá é obviamente complicado e cansativo. É um traço gostoso e inegavelmente pertencente a demografia shoujo, nos emocionando com as expressões de cada personagem enquanto eles cumprem suas jornadas.

Taiyou no Ie é o tipo de história que te faz sentir saudades, uma leitura aconchegante, mas que vai te deixar ansioso, feliz, triste, choroso e tudo que tem direito. Caso decidam dar uma chance a esse mangá, deixe um comentário aí! E se por acaso já leram, deixem um pouco de sua experiência aí também!

Muito obrigada por sempre acompanharem as minhas postagens, mesmo em tempos difíceis! Nos vemos na próxima!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Resenha, Resenhando e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.