Resenhando: Kaguya-sama wa Kokurasetai – Tensai-tachi no Renai Zunousen

Olá, leitores e fantasminhas do blog! Eu sei que tenho falhado muito com as postagens e temo que vai continuar assim enquanto estivermos no verão, mas depois as coisas normalizam mais.

Atualmente eu troquei de estágio e tenho um tempo a mais livre.

Nesses últimos tempos eu andei lendo um monte de coisas, mas uma que eu me sinto apta a falar agora é Kaguya-sama. Eu sei que tem anime, mas eu não vi e nem verei e estou resenhando sem a obra estar completa, o que é normal, mas só quero avisar que em 130 e poucos capítulos ainda não acabou, mas vou deixar aqui minha experiência sincera com essa obra.

Informações

Título original: かぐや様は告らせたい~天才たちの恋愛頭脳戦~
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos:  139 capítulos, 13 volumes
Status: Andamento
Demografia: Seinen
Gêneros: Comédia, drama, romance, vida escolar
Mangaká: Akasaka Aka
Ilustração: Akasaka Aka
Ano: 2015
Editora Japonesa: Shueisha
Revista Japonesa: Miracle Jump e Shuukan Young Jump
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse (Viz media)

Como líderes do conselho estudantil de uma escola prestigiada, Kaguya e Miyuki são a elite da elite! Mas é solitário no topo…sorte a deles que se apaixonaram! Só tem um problema…ambos são muito orgulhosos para admitir isso. E então se iniciam dias recheados de esquemas para que o outro confesse seus sentimentos românticos primeiro…amor é um guerra que você ganha perdendo.

Eu não gosto dele, mas se ele se declarar pra mim, eu não recusaria…

E assim começa o festival de adolescentes cabeça dura, cheios de orgulho e nenhum tato sobre romance por muitos (muitos mesmo) capítulos (um montão, é sério).

Kaguya é sua típica elite shut-in, criada alheia ao mundo moderno apenas para no futuro fazer o que uma herdeira mulher faz de melhor: casar bem e parir muito em silêncio. Claro que ela também é treinada em habilidades altas no mundo dos negócios, mas sua família é tradicional a esse ponto sim. Essa família é um dos pilares da economia japonesa, portanto, não é de se esperar que Kaguya tenha saído fria como gelo e sozinha como…não tem algo tão sozinho quanto essa personagem. Claro que no decorrer da história só temos flashbacks dessa Kaguya antiga, já que após ser convidada por Miyuki Shirogane para ser a vice-presidente do conselho estudantil e desenvolver sentimentos românticos por ele, tudo muda…um pouco. Já Miyuki é um intruso nessa escola onde só a nata da nata frequenta. Ele entrou ali conseguindo uma bolsa por suas notas e sempre estuda feito um maníaco para assegurar as melhores notas e o primeiro lugar no rank.

O mangá mostra o dia a dia do conselho estudantil com seus outros membros que inicialmente são Ishigami, um garoto meio emo e recluso que é brutalmente sincero especialmente com garotas, mas é muito gentil e Chika, uma garota extremamente esperta que adora jogos (e trapacear descaradamente neles) e também adora expor as pessoas através de seus planos, muito talentosa nos estudos e em esportes. Com o andamento do mangá, mas uma pessoa se torna membro do conselho e é a já presidente do conselho disciplinar Maki Iino! Seus bons costumes e alta moral são sua melhor faceta e ela também é famosa por entender todo tipo de situação muito errado (e de um jeito muito pervertido também).

Kaguya-sama no geral vai passando os dias enquanto vemos Kaguya e Shirogane não admitindo que gostam um do outro, mas querendo fazer o outro admitir e confessar seus sentimentos primeiro, pois, de acordo com uma fantasia absurda na cabeça dos dois a pessoa que se confessar primeiro perde, é a parte baixa e submissa sem qualquer orgulho num relacionamento que é feito de alguém superior e alguém inferior, porque o amor só pode ser isso aí. Enquanto são adolescentes, podemos ver que são muito além de inexperientes, causando longos capítulos (135 pra ser exata) onde tudo quase acontece, mas nada se realiza de fato seja pelo orgulho ou pela extrema vergonha que os dois sentem. Claro que os capítulos são feitos de outros eventos também, como os jogos de Chika, os backgrounds de todos os membros do conselho, seus dramas pessoais e também as situações onde Chika salva a reputação de Shirogane.

A única coisa que me incomodou durante o mangá é a demora exaustiva e obviamente estendida (aquele caso da editora mandar e o autor ter que fazer) da negação total e até parcial dos sentimentos que os dois têm e sabem que o outro tem, enfim…demora muito tempo para chegarmos na parte mais óbvia da obra, mas é digno, apesar de um pouco exagerado e certamente ambos vão enfrentar muitas outras batalhas nada geniosas e nada inteligentes ainda.

Dito essa minha visão da coisa toda, o enredo é satisfatório, garante muitas risadas e a gente consegue conhecer bem vários personagens sejam eles do núcleo principal ou não (um salve pro casal do ano que sempre pede conselhos amorosos aos dois kkk). Falando em personagens, são todos bem desenvolvidos do núcleo principal e os secundários e afins também tem uma porção de dedicação em sua criação.

O traço é muito bom e o mangaká sabe ser condizente com os momentos mais hilários aos mais delicados de sua obra, algo que auxilia muito na parte onde nós rimos e também choramos.

Kaguya-sama é em suma uma obra engraçada, dramática e fala bastante de orgulho, constrangimentos da adolescência, hierarquia escolar (?) e claro, a paixão dos anos jovens~! Se quiser rir ou chorar de rir ou chorar pelos dramas da história, comece logo a ler Kaguya-sama, porque daqui a pouco já vamos ter 200 capítulos se continuar assim!

Vejo vocês na próxima postagem que eu não sei quando vai ser!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Postagens, Resenha, Resenhando e marcada com a tag , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.