Clube do Terror: Corpse Party: Blood Covered [Jogo]

Olá, pessoal! Aleluia, um clube do terror chegando aqui no blog pra marcar sua presença com uma das minhas franquias de jogos favorita: Corpse party! Hoje eu vou falar sobre a primeira parte da história, o corpse party: blood covered.

Como eu havia dito faz tempo demais por aqui ou apenas na minha cabeça e pra quem conversa comigo, sempre pretendi trazer visual novels para o site, mas a inauguração desse feito é feita justamente por um jogo que não pode ser considerado apenas uma visual novel, dado seus inúmeros outros fatores de RPG’s clássicos de point and click e seu gráfico estilo 8-bit (uma coisa do tipo rpg maker).

O primeiro jogo da franquia marca o início de uma história estupidamente sangrenta, então aconselho aos leitores mais sensíveis a sair fora rapidinho, afinal, não se chama corpse party a toa!

Espero que curtam essa novidade que trago para o site, mas saibam que vão encontrar as visual novels e visual novel-ish (tipo corpse) nos quadros já existentes do blog com um aviso sobre ser um jogo. Não se preocupem, seguiremos sem spoilers.

Informações

Título original: コープスパーティー
Franquia: Corpse Party
Plataformas: PC (Steam, GOG)
Gêneros: Aventura, horror, sobrevivência
Modo: Single player

Roteiro

Após o festival escolar da academia Kisaragi, Suzumoto Mayu será transferida para uma nova escola, deixando para trás amigos, amores e muitas lembranças divertidas. Para que esse momento não passe em branco e não seja tão triste, a representante da classe, Ayumi Shinozaki, sugere que todo mundo performe um ritual oculto que ela viu em um site de uma médium famosa. Ayumi adora todo tipo de coisa sobrenatural e explica que o ritual consiste em falar a frase “Sachiko para sempre” uma vez para cada pessoa fazendo o ritual e logo após cada um rasga um pedaço de uma bonequinha de papel, mantendo consigo seu pedaço do papel eles serão amigos para sempre, não importa a distância.

Movida pela nobre ação de seus alunos, até mesmo a professora responsável se junta ao ritual, que é feito por 9 pessoas incluindo a irmã mais nova de um dos alunos.

Infelizmente, o ritual não termina como planejado. Sua amizade eterna será testada nesse novo mundo macabro dentro de um escola antiga caindo aos pedaços com cadáveres por todo lado e algo ou alguém espreitando cada movimento dos alunos nessa aventura sangrenta.

Eternos laços sangrentos

A partir daqui, assim como faço com os mangás, vou falar da minha experiência com esse jogo e espero que a partir disso alguns fiquem curiosos, adquiram esse Corpse e se apaixonem como eu.

Talvez queiram saber porque me apaixonei por essa franquia extremamente gore, mas é muito simples: eu adoro terror japonês! No geral, sempre gostei de terror trash e quando descobri o terror japonês achei excelente! Dá pra tomar uns sustos e rir muito também!

Então sim, Corpse é um festival de tripas e esqueletos e aparições danadas, eu fiquei não com medo, mas um receio tremendo enquanto jogava. A trilha sonora é a culpada disso, ela é excelente! Coloca o jogador no clima sem erros e é muito importante jogar esses jogos com os fones bem colocados nas suas orelhas com um volume moderado, porque não é só a trilha que faz um excelente trabalho, o voice acting de Corpse é de arrepiar! Em algumas poucas partes eu simplesmente não podia levar a sério (alguns sons tipo chamando o hugo não dá mesmo, não acham?), mas tu consegue perceber o pavor e a tensão que existe em explorar a escola elementar Tenjin, encontrar pessoas mortas de todo jeito cruel possível e espíritos aqui e lá, que podem ou não ser maléficos. O trabalho dos seiyuus foi essencial em conjunto com a música para derramar no imaginário do leitor exatamente a escuridão e o pânico que ronda esse lugar e nossos adorados personagens. Como observação final, Corpse utiliza um tipo de gravação de som 3D, que dá ao jogador a exata sensação de passos as suas costas, pessoas sussurrando na orelha direita e outras sensações e sons perturbadores pra caramba.

Quanto a jogabilidade, do meu ponto de vista não deixou a desejar. Eu sou uma pessoa que não costuma ter saco pra ficar muito tempo jogando Visual novels…ish, mas fiquei horas vidrada em corpse party, indo pra lá e pra cá no seu mapa para descobrir seus segredos pegajosos e podres, ativando armadilhas, fugindo de criaturas e observando de perto a transformação desse plot super clichê e ainda assim incrível.

Uma das coisas que pode ser cansativa, mas é muito recompensadora em jogos como Corpse, é conseguir assistir todos os finais. Como em uma visual novel, algumas escolhas ditam o rumo do jogo e muitos rumos são ruins enquanto poucos são os verdadeiros (não necessariamente felizes) finais. Descobrir os finais vai automaticamente fazer o jogador jogar todo o capítulo de novo, então pode ser que você prefira consultar um detonado ou saia tentando tudo e jogando de novo. O uso de um detonado (walkthrough) num jogo desses não chega a ser um demérito já que não vai spoilar a história, que é o coração desse jogo.

Corpse não tem batalhas, apesar de ter fugas. É um jogo investigativo, de atenção a detalhes e boa memória para se localizar dentro da escola. Um jogo que eleva seu batimento cardíaco e lhe deixa vidrado para saber se existe mesmo uma saída dessa escola maldita.

Por fim, a arte do jogo não é ruim, não é feia e não é de baixa qualidade. Acho que poucas coisas expressam melhor pra mim um terrorzão clichê do que esse gráfico 8-bit. A única coisa que eu sinto muito em informar para quem como eu vai jogar  versão da steam, é a falta de CGs. Parece que rolou uma censura pesada ou essas CGs não existiam mesmo, mas isso não atrapalhou tanto porque a narrativa é detalhada e se os curiosos têm uma boa imaginação, não vão precisar de muito mais do que palavras e sons para imaginar perfeitamente essas cenas grotescas.

Corpse Party: Blood Covered fez sucesso como um jogo e foi adaptado para animações e mangás também. Atualmente a editora Newpop lançou vários mangás da franquia! E como é uma franquia, Blood Covered é apenas a primeira parte dessa aventura horripilante! Hoje mesmo eu terminei de jogar a segunda parte da franquia que se intitula Corpse Party: Book of shadows e estou partindo para o terceiro e último jogo para encerrar a saga da escola Tenjin, chamado Corpse Party: Blood Drive e em breve as outras duas partes da minha aventura estarão disponíveis aqui no blog nesse mesmo formato!

Curtiu a postagem? Conhece Corpse Party? Está curioso? Deixa um comentário! Obrigada por sempre acompanharem o blog, mesmo quando não comentam eu vejo que bastante gente está lendo!

Seria um prazer interagir com todos vocês, então fiquem de olho aqui no menu lateral direito e entrem no Discord Eastern Union! Estou lá quase sempre para bater um papo, quem sabe jogar alguma coisa? Nos vemos na próxima postagem, mas cuidado…faça o que fizer, não olhe pra trás depois de ler esse post.

Esta entrada foi publicada em Clube do Terror, Resenha, Visual novel e marcada com a tag , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.