Clube do Terror: Souboutei Kowasu Beshi

Oi gente! Ultimamente eu tenho lido um pouco menos, ando um pouco afetada pela mudança de clima, mas adoro frio então vamo que vamo!

Hoje eu vou falar desse mangá sobrenatural que estou lendo, ele ainda está em andamento, mas já fez seu lugar na biblioteca da minha mente, então resolvi falar da minha experiência com ele.

Informações

Título original: 双亡亭壊すべし
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 12 volumes PdO, 3 volumes e 24 capítulos online
Status: Andamento
Demografia: Shounen
Gêneros: Ação, aventura, horror, sobrenatural
Mangaká: Fujita Kazuhiro
Ilustração: Fujita Kazuhiro
Ano: 2016
Editora Japonesa: Shogakukan
Revista Japonesa: Shuukan shounen sunday
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Uma mansão claramente sobrenatural se posta invencível e imperdoável no distrito de Numanakarai desde a era Taisho. Diversas pessoas sejam elas amadoras ou profissionais do oculto entraram nessa mansão na tentativa de desvendar seus mistérios e até destruí-la, mas ninguém retornou de lá.

Depois de um bombardeio a mansão, mais uma equipe de profissionais do sobrenatural se reúne para uma expedição, junto com outros elementos peculiares.

Do mesmo autor de Ushio to Tora e Karakuri Circus!

Eu tenho que destruir Souboutei!

Todos nós temos que destruir qualquer coisa amaldiçoada, assombrada ou sequer levemente atormentada, incluindo cemitérios de pets em solo indígena amaldiçoado e nisso sei que todos concordamos. Ninguém em sã consciência não tentaria se livrar imediatamente de lugares sobrenaturalmente suspeitos, não é? Não quer dizer que consigam.

Em Souboutei, que também é o nome dessa mansão maldita, você pode bombardear, tentar demolir e quem sabe até fazer um ataque nuclear que ela vai continuar em perfeito estado. Souboutei é muito mais do que uma casa mal assombrada, ela é a essência do maligno e perturbador, o próprio centro do caos que espalha e sequer morar perto demais dessa mansão vai te deixar um pouco louco.

Nosso protagonista, Takoha (alguma coisa que mal é mencionada no mangá), é um mangaká deveras fracassado por fazer histórias que os editores não acham apelativo para a faixa etária que ele se foca, mas tudo bem, ele não vai desistir de seu nada humilde sonho. Takoha mora num lugarzinho meio precário próximo a mansão Souboutei e com frequência também desenha sua vista dessa casa com tantas histórias perturbadoras a contar.

Claro que de primeira ninguém acredita nessas coisas direito, mesmo que anos e anos (e muitos anos) estejam aí para provar que sim, é do mal, não entre por favor.

Takoha conhece seu novo vizinho, o garotinho Rokurou e adivinhem? Ele vai morar no terreno da Souboutei, mas não na casa antiga, numa mais nova (olha a bandeirinha de evento aí gente!) bem ao lado da coisa maldita. Não é surpresa que tudo começa  dar errado aí, além do mais a região da casa sofre um bombardeio mesmo! Quem é o responsável por isso e sua relação com Souboutei fica para os meus leitores descobrirem, mas não é um grande segredo.

Outras coisas mais cósmicamente creepy começam a aparecer, como o surgimento de um avião que estava perdido no mundo (não nesse, HA!) com todos seus passageiros, mas o único sobrevivente (40 anos depois, algo assim) é um garoto chamado Seiichi que só tem um objetivo: Destruir Souboutei a qualquer custo! Percebe-se logo que tudo de ruim que acontece nesse mangá está relacionado a essa mansão.

O plot é beem simples, contando com o típico horror de imagens grotescas, aspirais, inspirações em outros grandes autores do horror, muito desespero e claro, usar seus medos e arrependimentos contra você, porém, a obra mantém os olhos do leitor grudadinhos em cada cena, são páginas cheias de observações a se fazer, muitas coisas para notar, aprender e apreciar enquanto o mistério da mansão e seu dono vão se desenrolando graças aos esforços de Takoha e Kurenai, uma espécie de exorcista muito bem treinada e irmã de Rokurou.

O modo como o roteiro se une e se separa aqui e ali, como as mortes que ocorreram se deram e as do presente também e até a composição artística da casa e suas muitas referências a períodos da arte é simplesmente adorável. É uma história muito comum de horror com elementos muito ricos, mas sem grandes exageros.

O traço pode não ser o ideal estético de muitos, mas eu gostei. O único problema é que as raws nem sempre estão perfeitamente limpas e nem possuem uma edição de ouro, mas é totalmente legível e apreciável, pelo menos no mangadex em inglês. Pra quem está familiarizado com o traço do autor, eu achei uma ótima evolução e não deixou a desejar na parte assustadora, cômica e desesperadora.

Cada cena dentro daquela casa maldita realmente causa desconforto no leitor e isso inclui os seus personagens. Suas personalidades e peculiaridades visiveis ou não foram bem trabalhadas pelo autor e até o momento muito bem utilizados, dando o ar a mais de que algo está sempre muito errado no ambiente. Os personagens são cativantes e mesmo que passemos pouco tempo os acompanhando, é um tanto emocionante ver o desfecho de seus destinos.

Qual o sentido dessa mansão chamada Souboutei e quais os segredos que envolvem até o alto governo japonês? O que importa é que Souboutei deve ser destruída!

Espero que apreciem a leitura deste mangá! Caso já tenham lido deixem um comentário ou deixem um comentário sobre o que acharam também~

Vejo vocês na próxima postagem com outra obra, enquanto espero que Souboutei vire pó finalmente.

Esta entrada foi publicada em Clube do Terror, Mangá, Resenha e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.