Resenhando: Otome Game no Hametsu Flag shika nai Akuyaku Reijou ni Tensei shite shimatta…

Olá, olá! Hoje eu -finalmente- cheguei nos capítulos atuais desse mangá de nome enorme e resolvi vir contar a minha experiência até o momento.

Antes de tudo, sim é um isekai. Eu gosto de ler isekais que são interessantes, como fiz em postagens passadas com Honzuki no Gekokujou e Tondemo Skill de Isekai Hourou Meshi.

Informações

Título original:  乙女ゲームの破滅フラグしかない悪役令嬢に転生してしまった…
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos:  3 volumes PdO, 16 capítulos online
Status: Andamento
Demografia: Josei
Gêneros: Comédia, fantasia, harém reverso, romance, slice of life
Mangaká: Yamaguchi Satoru
Ilustração: Hidaka Nami
Ano: 2017
Editora Japonesa: Ichijinsha
Revista Japonesa: Comic Zero-sum
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Uma colegial viciada em otomes games acaba sofrendo um acidente quando está a caminho da escola depois de uma noitada de jogos e acorda como Katarina Claes, uma garotinha nobre de 8 anos, filha de um duque que acabou de levar uma pedrada na testa e noivar com o próximo príncipe enquanto estava com uma febre delirante, desnorteada no novo mundo. Logo Katarina reconhece que está no último otome game que jogou e é a vilã que só tem finais ruins com death flags! Ela decide dedicar seu tempo e esforços para não acabar morta ou exilada!

Evitando death flags e fazendo amigos

A garota que era viciada em otome games acorda no mundo do último jogo e para piorar é a vilã que acaba sempre morta ou exilada, cercada de death flags, mas a atual Katarina não quer morrer (até ser exilada é melhor), então nesse mundo de nobreza e magia, ela decide aprimorar suas habilidades para conseguir sobreviver. Estudar magia seriamente, aprender a lutar com uma espada, ter sua arma secreta sempre a disposição em seu bolso, aprender a cultivar vegetais e similares para sobreviver por conta própria caso seja exilada e claro: mudar suas death flags! Como ela conhece o universo do jogo, sabe onde não pode errar. Apesar de começar na infância como uma Katarina de oito anos, desde aquele ponto é necessário ter todo cuidado para que não acabe criando situações que vão acabar em sua morte no futuro, já que todos os garotos que conhece se apaixonam pela heroína na adolescência e Katarina acaba ficando no caminho de alguma forma.

O roteiro é bem simples e todos que leram ou assistiram algum isekai sabem que o novo mundo tem novas regras e é preciso se adaptar a essa sua nova vida. Apesar da personagem reencarnar dentro do jogo, não vemos típicas mecânicas de otome games, é mais uma história sobre uma garota nobre que conhece vários garotos nobres, acaba noiva de um príncipe e faz amizades com outras garotas nobres, mas todo mundo a sua volta era uma death flag, termo utilizado em jogos para definir eventos que acarretam na morte de um personagem, assim como love flags servem para eventos que podem levar a uma rota de romance e rota se refere a um dos caminhos da história, dependendo das escolhas do jogador. Katarina pensa que precisa apenas ficar bem longe do caminho da heroína que conhecerá na adolescência e ter boas relações com os rapazes, e ela consegue garantir uma infância pacífica, mas ao fazer quinze anos, debutar na sociedade e entrar para a escola de magia, as coisas que pareciam estar fluindo de acordo com os planos mudam drasticamente! Sim, esse mundo de magia e nobres começa a ficar com uma aura mais pesada com um personagem misterioso da rota secreta, e além disso, o coração dos rapazes não parece estar batendo pela heroína! E é possível que até a heroína não tenha interesse romântico em nenhum dos rapazes que Katarina conhece! O que ela sabe é que fez muitos amigos e os ama, assim como sua família e seu campo de vegetais.

Os personagens tem seus momentos de destaque, onde o leitor também conhece um pouco de seu background pela visão de Katarina e sua experiência com o jogo, mas como tudo muda por causa da personalidade da suposta vilã, os garotos e garotas que ela conhece também se comportam muito diferente e passam a adorá-la e até…algo mais. O grupo de amigos de Katarina precisa até cuidar dela de outras formas, já que ela só se foca em sobreviver suas death flags e acaba se tornando extremamente densa para qualquer outro tipo de assunto.

O desenvolvimento do mangá é satisfatório, contendo explicações do que é necessário, flashbacks interessantes e alguns mistérios, mas especialmente, tem muitos momentos de comédia para se aproveitar e cair na risada lendo.

Em termos de arte, não vemos nada excepcional. O traço é bonito e é ok e faz jus a toda a intenção de comédia presente durante a maior parte da obra, mas não decepcionada quando se trata de lindos rapazes ou cenários que ganham destaques. As roupas não mudam quase nunca e tem design simples, mas são interessantes e condizentes com a proposta deste mundo. Não é de forma alguma decepcionante.

Otome game no hametsu flag é um mangá que recomendo muito para quem busca rir bastante e acumular expectativas sobre as várias situações que o mangá nos mostra. Será que Katarina irá casar com o príncipe mesmo? Ela está mesmo morta e renascida no último jogo otome que estava jogando? Será que ela vai chegar a amar alguém? Todas essas perguntas ainda não foram respondidas nos 16 capítulos traduzidos online, mas a construção dessa expectativa e a aproximação da revelação destes eventos torna essa leitura muito envolvente e cheia de pequenas reviravoltas!

Já conhece o mangá? Comenta aí o que tu achou! Para os curiosos, eu li no mangadex em inglês, mas também tem capítulos traduzidos por um scan brasileiro lá.

Espero que tenham curtido a minha experiência divertida com esse mangá. Vejo vocês na próxima postagem!

Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.