Resenhando: Gambler’s Parade

Oi, pessoal! Essa semana estive um pouco ocupada com o Amino e a nova comunidade que eu estou na direção, pois é…lá vamos nós de novo! Mas tudo bem, também não estive muito na vibe de ler, às vezes é complicado tropeçar em leituras novas também, mas trouxe um mangá bem louquinho que achei engraçado e interessante ao mesmo tempo.

Informações

Título original: ギャンブラーズパレード
Tipo: Mangá
Volumes e capítulos: 3 volumes, 22 capítulos
Status: Andamento
Demografia: Shounen
Gêneros: Psicológico, vida escolar, sobrenatural
Mangaká: Kodaka Kazutaka
Ilustração: Nakayama Atsushi
Ano: 2018
Editora Japonesa: Kodansha
Revista Japonesa: Shuukan Shounen Magazine
Link do mangá no Anime-Planet

Sinopse

Shinonome Karin é uma garota que nasceu sob uma estrela do mais puro azar. Na tentativa de mudar de vida ela acaba se transferindo para uma nova escola…na ilha das apostas, onde todo tipo de aposta suja também é válida e nem o governo e muito menos a força policial tem um dizer. Karin acaba entrando para um time de apostadores a convite do misterioso professor que quer erradicar essa escória apostadora do planeta.

Apostas e monstros

Quando topei com a sinopse do mangadex sobre esse mangá, que não é a mesma sinopse que eu fiz agora, naturalmente, eu achei que esse mangá seria algo meio parecido com o tão conhecido Kakegurui, mais um título que pode ser interessante dentro do subgênero high-stake games, mas logo me surpreendi um pouco ao cruzar pelas primeiras páginas com o que parece ser uma forma “verdadeira” e sobrenatural do tal professor que quer limpar o mundo dessa gente inútil que só sabe apostar com seus cérebros de esponja e toda aquela coisa. O querido professor sempre tão composto, quando enfrenta uma disputa de apostas, se transforma em algo de aparência humanóide, mas bem distante do normal. Na verdade, todos apostadores relevantes para o roteiro tem alguma peculiaridade física extremamente agravada pela arte maravilhosa, chocante e exagerada desse mangá.

No roteiro altamente simples e que pode ser muito bem explorado (ou ir ladeira abaixo), temos a protagonista extremamente azarada que periga morrer a cada passo que dá e o sensei sempre muito comportadinho que a recruta imediatamente para um clube de…apostas, afinal, ele vai erradicar todos apostadores fazendo eles perderem no seu jogo. Alegando que o azar de nascença de Karin vai atrair todo tipo de lixo que é viciado em apostar, ela acaba sendo enfiada a força nesse clube escolar nada cultural sobre apostas.

O mundo dessa obra é tremendamente sujo e podemos imaginar isso só ao saber que todo mundo ficou biruta com apostas a ponto de uma ilha ter sido feita só pra isso onde vale de tudo. Se esse mangá não fosse um shounen e os protagonistas fossem um pouco mais velhos, iríamos topar com as mesmas cenas com uma apresentação mais direta, mas não fique decepcionado leitor, dá pra entender muito bem como a banca toca nessas terras.

Tendo esse roteiro simples de eliminar diretamente tudo de ruim neste mundo sacrificando a própria vida e claro, o indispensável fator grupo de amigos ou pessoas com o mesmo objetivo superando os obstáculos, apesar de Gambler’s Parade dar um ar bem mais sujo dessas coisas, ainda é aquele artifício comum do shounen, elevando seu batimento cardíaco e tudo mais. O mangá também conta com muito diálogo sobre as regras dos jogos e toda aquela famosa trash talk do protagonista pro antagonista e vice-versa. Pode ficar um pouco chato às vezes e outras pode ser só falatório desnecessário. Confesso que em alguns quadros eu só pulei porque era uma reafirmação dos fatos de ambos os lados, mas nos momentos que não foram isso, a briga de palavras e egos revelando as estratégias é engraçada.

Nos capítulos disponíveis atualmente parece que o mangá não é só feito dessa bateção de boca com jogos de alto risco, parece uma história que tem um potencial de entretenimento bom, pra matar um tempo. O que definitivamente me conquistou ali foi o traço. Como vocês podem ver pelas imagens utilizadas, eu posso jurar que esse artista, que é diferente do autor nesse mangá, adora desenhar obras de terror com altas expressões faciais baseadas em outros mangakás como Junji Ito.

A história é bem básica e o traço te deixa curioso com toda arte badass, meninas com belas curvas e cliffhangers divertidos. É um ótimo mangá para ler quando você quer dar umas risadas e passar um tempo, eu nem notei que li vinte e dois capítulos na tarde de hoje e ri bastante, principalmente com o complemento visual das cenas! Claro que essa obra critica pesadamente o vício em apostas e até o atual problema das lootboxes, é algo bem válido e fica bem clara a total e completa repulsa por esse tipo de prática em cada página do mangá.

Se vocês, devoradores que acompanham meu site ou as postagens no Amino, quiserem se divertir com mais uma obra de apostas vidas sendo arriscadas, por favor confiram Gambler’s Parade! Já leu? Conta aí o que achou ~

Vejo vocês na próxima postagem~!

Esta entrada foi publicada em Mangá, Resenha, Resenhando e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.